Oclusão Dentária é a área da medicina dentária que estuda, diagnostica, previne e trata os problemas relacionados com a má oclusão e com as disfunções da Articulação Temporomandibular (DTM).

Entende-se por oclusão dentária a relação entre a posição dos dentes, as arcadas dentárias (superior e inferior) e a relação existente entre eles e as forças musculares.

Numa oclusão ideal, os dentes estão bem posicionados, as arcadas dentárias “encaixam” perfeitamente e as estruturas anatómicas vizinhas (como os músculos, por. ex.) encontram-se em equilíbrio. Sendo estabelecida uma relação entre os maxilares favorável à manutenção de todas as funções orais: mastigação, deglutição, fonética e estética.

A má oclusão dentária ocorre quando há uma ou várias alterações no equilíbrio das estruturas anatómicas, como por exemplo alterações na estrutura dos dentes, má posição dentária, perda de dentes, etc. e, com o tempo, pode causar problemas nas estruturas adjacentes, como dentes, gengivas, ossos, músculos, ligamentos e articulação temporo-mandibular (ATM).

As disfunções temporo-mandibulares (DTM) estão frequentemente relacionadas com problemas oclusais, problemas nas articulações temporo-mandibulares, nos maxilares e nos músculos responsáveis pela mastigação e pelo próprio movimento das articulações.

As DTM´s podem causar dor severa ou desconforto que varia de intensidade e que poderá ser ocasional ou persistir por vários anos. Os sintomas mais frequentes nos pacientes com DTM são: cefaleia; dor de ouvido; emissão de sons ao abrir e fechar a boca; dor no maxilar ao trincar, mastigar ou bocejar; sensação de cansaço muscular; dificuldade em abrir e fechar a boca; dor e sensibilidade no pescoço durante o movimento de abrir e fechar a boca; problemas de audição; zumbido; tonturas…

Por: Dra Joana Barros Ferreira